Aqui reinava um Rei - Ariano Suassuna


Aqui reinava um Rei quando eu menino: 
vestia ouro e castanho no Gibão.
Pedra-da-sorte sobre o meu Destino, 
pulsava junto ao meu seu coração.

Para mim, seu Cantar era divino,
quando, ao som da viola e do bordão,
cantava, com voz rouca, o Desatino,
o riso, o sangue e as mortes do Sertão.
                                 
Mas mataram meu Pai. Desde esse dia 
eu vivo como um cego, sem meu Guia, 
que se foi para o Sol, transfigurado.

Sua Efígie me queima. Eu sou a presa, 
ele a Brasa que impele ao Fogo, acesa,
Espada de ouro em Pasto ensanguentado.

Ariano Suassuna.

Nenhum comentário :

Postar um comentário