Paul Celan (1920-1970)

Ficheiro:Celan passphoto 1938.jpg
Foto do passaporte de Paul Celan, 1938.

Fuga Fúnebre (1948)

Leite preto bebemos da aurora toda noite
meio-dia e bebemos e toda manhã toda noite.
bebemos bebemos.
cavamos no ar onde há lugar para a gente deitar-se numa cova.
há um homem na casa que brinca com cobras que escreve que
escreve no ocaso à Alemanha natal Margarete suas tranças
douradas que ele escreve e vai diante da casa e as estrelas fulguram chamar assobiando seus cães
chamar seus judeus assobiando mandando-os cavarem na terra
uma cova ele manda tocarmos agora uma dança
Leite preto da aurora bebemos você toda noite
bebemos você de manhã meio-dia e de tarde
bebemos bebemos
há um homem que brinca com cobras que escreve
que escreve no ocaso à Alemanha natal Margarete suas tranças douradas
Sulamita suas tranças cinzentas cavamos no ar onde há lugar para a gente deitar-se numa cova
Ele manda vocês aí escavarem mais fundo este solo e vocês lá cantando e tocando
tem um ferro em seu cinto que pega e que brande tem olhos azuis
vocês com as pás escavando mais fundo e vocês lá tocando essa dança
Leite preto da aurora bebemos você toda noite
bebemos você de manhã meio-dia e de tarde
bebemos bebemos
há um homem que está Margarete suas tranças douradas
Sulamita suas tranças com cinzas na casa e que a morte é um mentor da Alemanha
ele berra ao ferirem mais fundo os violinos vocês flutuarão como ar a fumaça
e vão ter com lugar para deitar-se com uma cova nas nuvens
Leite preto da aurora bebemos você toda noite
bebemos você meio-dia é que a morte é um mister da Alemanha
bebemos você toda noite e manhã nós bebemos bebemos
é que a morte é um mentor da Alemanha com olhos azuis
que acerta uma bala de chumbo em você sempre acerta na mosca
há um homem que está Margarete suas tranças douradas na casa
que solta cachorros na gente e que no ar nos concede uma cova
que brinca com cobras e sonha é que a morte é um mister da Alemanha
Margarete suas tranças douradas
Sulamita suas tranças em cinzas.

tradução de Nelson Ascher

in: Schoá - Sepultos nas Nuvens. Gérard Rabinovich. São Paulo: Perspectiva, 2004.

"Alors vous montez en fumée dans les airs. Alors vous avez une tombe au creux des nuages. On n'y est pas couché à l'étroit." Paul Celan

Nenhum comentário :

Postar um comentário