Jedem das Seine?

Slogan nazi no portão de Buchenwald.
"A cada um o que merece."

“Menos de três anos viverá o pequeno Daniel Klausner. Dali a pouco virão matá-lo, para defender a Europa, para evitar que aconteça a consumação do

‘[...] sonho terrível da sedução de centenas, milhares de moças por asquerosos bastardos judeus de pernas tortas. Com alegria satânica no olhar, o judeu de cabelos negros espreita a moça [...] que ele contaminará com seu sangue repugnante... O objetivo final dos judeus é a destruição da nacionalidade [...] pela abastardização de outras nacionalidades e o rebaixamento do nível racial das nações superiores [...] num objetivo oculto [...] de destruir a raça branca [...] Se levarem cinco mil judeus para a Suécia, em pouco tempo eles se apossarão de todas as posições mais vitais [...] o veneno universal de todas as raças é o judaísmo internacional [...]’ 2

2. [Adolf Hitler, citado de Hermann Rauschning. Conversas com Hitler. Tel Aviv, Editora Rimon-Massada  (1941), do testamento de Hitler e de Joachim C. Fest. Hitler. Jerusalém, Editora Keter (1973).]

– Amós Oz, em seu livro “De Amor e Trevas”, ao falar da morte de seu primo Daniel Klausner, assassinado aos três anos de idade, com seus pais David e Malka Klausner. Citando a fala de Hitler.

in: Oz, Amós. De Amor e Trevas. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 130. Tradução do hebraico de Milton Lando.


Nenhum comentário :

Postar um comentário