quem roubou o céu

  Oi, pessoal! 

  Estou voltando dessa vez, com um trabalhinho meu que fiz hoje de madrugada. Eu não podia deixar de escrever, senão perdia. Já perdi tantos por não escrever na hora, que fico agoniada. Depois que perde é sempre aquela tentativa de escrever parecido, mas não sai lindo como na hora em que você pensou.
   De tanto falar do livro do meu coração, senti necessidade disso. Desde que li A Menina que Roubava Livros, às vezes eu faço um poema ou outro baseado nele. Acho que é mais do que uma obra de arte, agradeço pelo resto da vida porque o Markus Zusak o escreveu. Espero que gostem! ;*

ontem
quem roubou o céu
não foi o ladrão de céus
o lutador
que sonhava
estar derrotando o Führer
que disse
a morte vai sentir meu punho na cara
e ela sentiu
quem roubou
foi a Sacudidora de Palavras
por uma palavra
adorável
adorável
é você
Máxi Táxi
Máxi Táxi Cabelo de Pena
que escreveu
numa janela da Rua Himmel
as estrelas puseram fogo
em meus olhos
e você me fez sorrir
de orgulho
eu sorri
como meu pai diz
que meu sorriso é tão bonito
que eu não preciso de mais nada
e eu senti meu coração tão grande no peito
não foi você quem roubou o céu
Max
quem roubou
foi alguém
que roubou das chamas
O Dar de Ombros
havia um homenzinho muito estranho
mas havia também
uma Sacudidora de Palavras
que chorou no seu rosto
e a árvore
a árvore
a fera branca
Máxi Táxi
lembra, Max?
eu me lembro de tudo
você me contou
fui eu quem roubou
o céu
agora
fui eu
eu
que disse
havia uma menina
que tinha um amigo que vivia nas sombras
e ela lhe lembrava o ar entrando em seus pulmões
ela lhe lembrava o sol tocando sua pele
ele a lembrava
que ela ainda estava viva
foi ela quem disse
hoje o sol parece uma bola amarela
e tem uma nuvem espichada
feito uma corda, Max
a meteorologista
que fez você escrever
e você pintou um sol
descobriu luz
no escuro
eu andei com você na corda bamba
numa segunda-feira
para chegarmos até lá
eu contei
do meu Jesse Owens
dos cabelos cor de limão
eu também falei dele
e você o desenhou
com três medalhas no pescoço
eu perguntei
se era você
se foi do seu rosto
que veio a semente
da minha árvore
mas essa árvore
ninguém destruiu
você
Max
adorável
você que destrói
e cura meu coração
você que me faz chorar
e eu rio no choro
eu também disse
aquela nuvem
parecia uma fera branca
e veio por cima das montanhas
a nuvem
a nuvem
que meu pai acordeão falou
você devia dá-la ao Max
como se dá a alguém
um pedaço de céu?
depois que eu trouxe o boneco de neve
eu li para você
esse é novo Max
só para você
O Carregador de Sonhos
e quando você visse
os presentes que eu trouxe
você diria
que porcaria é essa?
não é só porcaria
foi isso que fez você acordar
é
quem roubou o céu
não foi você, ladrão de céus
foi a menina que roubava livros
mas os seus cabelos
serão sempre de penas
seus olhos
sempre alagadiços de desagonia
e você
nunca deixará de ser
aquele que roubou o céu
antes que eu o roubasse de novo
por você
você que sabe
vencer o medo
você que disse
que eu sou o melhor Vigiador
que você conhece
que eu sou a Sacudidora de Palavras.

Recife, 11 de Novembro de 2013.

Letícia Valle.

2 comentários :

  1. Lindo Lê. Sou dessas também que se não passa a ideia para o papel acaba perdendo. E que bela inspiração né. Max é vida ♥

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhhhhhh, que perfeito!
    Ficou lindo, de verdade. Ainda bem que você escreveu, perder isso seria terrível!

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir