[RESENHA] A Seleção - Kiera Cass



   Só me interessei pela trilogia da Kiera depois de comentários fantásticos que ouvi de uma amiga, e me fizeram ficar ansiosa em grau extremo para saber como era esse universo que ela criou. E não me decepcionei nem um pouco, devorei A Seleção e A Elite em dois dias. 
  Num futuro distante, no qual já houve uma Quarta Guerra Mundial e os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, foi criado um país chamado Illéa. Lá vive America Singer, uma adolescente de dezessete anos. 
  Illéa é dividida em oito castas, das quais na primeira vive a família real e na última, as pessoas miseráveis do país, aquelas que ninguém considera. America nasceu na casta Cinco, sua família vive de música e artes.
   Não quer de modo nenhum tornar-se princesa, pois somente entrar para a Seleção, evento em que o príncipe escolhe uma entre trinta e cinco moças para ser sua esposa, significaria a perda de tudo o que é importante para ela. Seus pais não sabem que ela namora escondido um rapaz da casta Seis, Aspen Leger. 
  Desde o primeiro momento em que Aspen apareceu, logo nas páginas iniciais, não gostei dele de jeito nenhum. Gente, só a Kiera torce para ele, sinceramente. *todas Team Maxon gritam* 
  Bom, Aspen a convence a se inscrever para a Seleção, e lá vai ela, sem imaginar que seria uma das Selecionadas. Faz isso só porque ele pediu, no início, mas acontece algo entre eles e Aspen termina o namoro com ela. Então, America vai para a Seleção disposta a esquecê-lo.

  "Tomei coragem para enfrentar o que estava por vir. Eu me fiz de forte. Enfrentaria o que surgisse. Quanto ao que tinha ficado para trás, decidi que era melhor assim: deixar para trás. O palácio seria meu refúgio." (A Seleção, pág. 90)


 Desde que comecei o livro, não via a hora de ler a chegada ao palácio, que demora um pouco para aparecer. E aí, Maxon... *respiração zero, coração a mil* 
  Maxon é o príncipe mais perfeito do mundo, e a America faz questão de quê? Ser agressiva com aquele que é o sonho de todas as meninas. Mas se desde o começo eu já estava brava com ela, isso só fez piorar. Claro que em um minuto eu a xingava e no outro, MAXON DEIXE ILLÉA E VENHA PRA CÁ POR FAVOR .
  Com a evolução dos capítulos, vemos que Maxon se aproxima mais de America, como amigo, claro, apesar de já ter interesse por ela. Algumas das Selecionadas morreriam para estar em seu lugar, conversando frequentemente com o príncipe. A única amiga que America tem lá é Marlee, uma menina doce e tímida. Porém, a primeira firmou um acordo com ele, de ser sua amiga e ajudá-lo a encontrar uma esposa entre as meninas. Maxon nunca havia se apaixonado. 

   "Minhas intenções não importavam. As outras garotas não sabiam que eu não queria ganhar. Na visão delas, eu era uma ameaça. E dava para notar que me queriam fora." 

(pág. 114)

  "(...) Ontem à noite você disse que estava em busca de uma confidente. Bem, posso ser essa pessoa enquanto não encontrar a definitiva. Se quiser...

  Seu rosto demonstrava um afeto contido.
    Conheci quase todas as garotas deste salão e não penso em outra que seria uma amiga melhor que a senhorita. Será um prazer deixá-la ficar. (...) Você acha que eu ainda posso chamá-la de 'minha querida'?" (pág. 145)

   Claro que o livro não tem só romance, apesar de só nos outros livros ser melhor explicada a razão de ser uma série distópica. Há a introdução dos fatos, além de a história se passar num futuro longínquo. Gostaria que houvesse mais foco na questão distópica, sim, não nego, mas o romance foi o que me fez ler esse livro em vinte e quatro horas. 
  O ar de conto de fadas foi o que me atraiu, pois a Kiera colocou no papel um governo tirânico, representado pelo rei, como é característica num livro desse gênero, mas conseguiu não fazer disso o ponto central. A trama da trilogia tem seu ápice na escolha de Maxon e na escolha de America, entre o amor por Aspen e o recente sentimento que tem pelo príncipe. Não pude dormir até terminar as últimas páginas dele de madrugada. 
  É uma versão apaixonante passada num mundo que não podemos imaginar, mas que, enquanto lemos, torna-se o nosso. Não há nada mais em que podemos pensar a não ser quem será a nova rainha, e que vida a heroína escolherá após a Seleção.

Título Original: The Selection 

Autora: Kiera Cass
Tradução: Cristian Clemente
Editora: Seguinte
Páginas: 368
Ano de Publicação: 2012
ISBN: 978-85-65765-01-5

Classificação: 


  

4 comentários :

  1. Own eu amo essa trilogia *-* Pena que a ideia de transformar essa história em uma série não vingou :/ Já terminei a trilogia, só falto o último conto *----*

    Beijo,
    http://portaoazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana! Também amo a trilogia, só não tenho A Escolha, embora o tenha lido, e os contos, dos quais só li O Príncipe. Vi um dos episódios pilotos da série e meu Deus, o que foi aquilo? Destruíram a história linda da America e do Maxon! Prefiro um filme *-* Obrigada pelo comentário! Beijo!

      Excluir
  2. Olá, Leti! Durante a minha ida na Saraiva não resisti e comprei os três livros, mas infelizmente ainda não tive tempo de lê-los. Vi que também tem os contos, mas não sei se irei comprá-los, só se eu realmente gostar bastante dos livros (algo que eu acho que provavelmente irá acontecer hahaha) Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu estou louca para comprar a trilogia! Talvez compre esse mês ainda ♥

    ResponderExcluir