_pelo natalício do António Cravo_

(eu ao colo da minha avó materna, benedita cravo)

balanço, 60

há quem nasça continente
eu nasci arquipélago

artes e ofícios muitos
de tudo um pouco
em tudo quase nada
o mesmo
agarrar pontas e atá-las
depois mais um nó
novas pontas sempre
em busca de outro nó
a desfazer também

sol e mar
inquietações de barco ancorado
angústias de infinito
e um infinito de angústias

uma praia
onde conchas ouvem peixes
murmúrios de ondas
troncos naufragados
cordas redes fios
vómitos de mar

palavras
em busca de um sentido 
sentindo que só a busca é
caminho

falei-me
(António José Cravo)
04.12.2011

Um comentário :