abre a porta


sorri para ti




abre a porta
todas as portas fechadas
esperam por ti
o braço inicia o movimento de
a mão

onde antes silêncio sombra
pesos insuportáveis
súbito se transmutam
a porta abriu-se
tu

deixa os pés irem
pela casa caminhas
descobres
teia a teia desfazes
a arte das aranhas dobrada
ao peso do pó e do tempo

abre a porta
sorri para ti

(s. pedro do sul; serra da gralheira; covas do monte)
 

(António José Cravo)
ahcravo.wordpress.com

Um comentário :

  1. essa miúda é danada. não pode ver nada que rouba logo. danadinha mesmo, mas eu gosto. quando ela for grande, vou comprar um avião e vou vê-la a brincar com as palavras. viu!

    ResponderExcluir