Gabriel García Márquez (1928-2014) (Parte I)


cabrita de pé nos cabeços da ria

hoje morreu gabo e não morreu


(“gabriel garcia marquez ou a história de um deicídio”
mario vargas llosa)

o tempo gabriel
o tempo
o tempo que tu tão bem
construíste e desconstruíste

algures na floresta de maconde
um coronel
mortes anunciadas
(a tua a nossa a de todos) 
cem anos 
putas tristes
quantas histórias
fantasticamente reais
os buendia sempre

o tempo levou-te 
o tempo
de estares aqui gabo 

a névoa envolve tudo
a labuta dos dias da escrita
dos jornais dos livros dos editores
das palavras
gabo

por entre uma outra névoa
três homens arrancam da lama da ria
com que sobreviver nesta terra
nunca te leram
não sabem quem és

mas foi para eles
foi por eles que escreveste

abraço gabo

(ria de aveiro; torreira)

(António José Cravo)

17 de Abril de 2014


http://ahcravo.wordpress.com/2014/04/17/hoje-morreu-gabo-e-nao-morreu/

Nenhum comentário :

Postar um comentário