Sonnet CXVI (William Shakespeare)


Sonnet CXVI

Let me not to the marriage of true minds
Admit impediments. Love is not love

Which alters when it alteration finds,

Or bends with the remover to remove:


O no! it is an ever-fixed mark 
That looks on tempests and is never shaken;
It is the star to every wandering bark,
Whose worth's unknown, although his height be taken.

Love's not Time's fool, though rosy lips and cheeks 
Within his bending sickle's compass come: 
Love alters not with his brief hours and weeks, 

But bears it out even to the edge of doom.
   If this be error and upon me proved,
   I never writ, nor no man ever loved. 



Soneto CXVI

À sagrada união de almas duas, fiéis,
Entraves não admito: amor não é amor
Que se altera se encontra alguma alteração,
Ou se inclina a mudar ao ver o que é mutável.

Oh! não, é sempre um marco eternamente erguido;
Imóvel, testemunha, o furor da tormenta;
Astro a que toda nau errante se reporta,
De incógnito valor, se bem que mensurável.

Não é do Tempo o bobo, embora venha a sua
Curva foice atingir faces e lábios rubros
Não lhe abalam o curso horas breves, semanas;

Até a hora da morte ele fica imutável.
Se puderem provar que me tenha enganado,
Eu jamais escrevi, ninguém jamais amou.

Shakespeare, William. Obra Completa. Vol. III. Reimpressão da 1ª edição. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1988. p. 861.




Nenhum comentário :

Postar um comentário